Entretenimento

Eu encontrei um iPhone no chão e o que vi nas fotos me inquietou

Advertisements

morta1200x627

Eu encontrei atrás do condomínio onde eu moro, um iPhone 5 em ótimas condições, parecia novo. E peguei ele para dar uma olhada. Parecia pertencer a uma garota de mais ou menos 15 – 16 anos, pelo menos deduzindo da capinha com glitter. O telefone provavelmente caiu da mochila ou do bolsa da jaqueta, mas repito era em perfeitas condições, parecia novo. Quando cheguei em casa joguei a mochila no chão, como faço sempre, troquei de roupa e continuei a olhar o telefone. Quem perdeu com certeza o estava procurando. Procurei entre os contatos da agenda telefônica alguém para chamar e tentar devolver ao proprietário e encontrei um “mãe”. Mas nada, eu clicava “chama” e nada, não funcionava. Naquele momento o meu iPhone chamou, um iPhone 6 preto, era a minha melhor amiga Julia.

“Oi Alex! Como foi a prova hoje?”

Naquele momento eliminei completamente o iPhone que tinha encontrado dos meus pensamentos e continuei a conversa com Julia.

“Você já tem programa para hoje de noite? Podemos ir em um pub que abriram a pouco tempo, isso se você estiver afim!”

Esta muito bem em casa e demorei um pouco para confirmar se ia ou não, afff… como faço a negar um convite da minha melhor amiga?

Nós decidimos lugar e hora para nos encontrarmos e depois deligamos. Depois me lembrei do telefone que tinha encontrado, e que eu tinha jogado em cima da poltrona. Peguei o contato “mãe” e chamei do do meu telefone. Chamou varias vezes e quando estava quase desistindo e desligando uma voz “cansada” me responde.

“Fala”

Eu tentei ser gentil mesmo que a sua resposta tenha sido tanto grossa. “Oi, eu me chamo Alex e encontrei este telefone no chão penso seja da sua filha, existe algum modo em que eu possa restituir-lo? Por alguns segundos silencio absoluto e depois com uma voz áspera e brava mi disse: “Você acha que essas palhaçadas sejam engraçadas? Pare já com isso!”

Eu fiquem sem saber o que responder por alguns segundos e depois ela desligou na minha cara. Que problema ela tinha? Eu fiquei confuso. Controlei que fosse o numero correto e era. Tudo bem, não entendia porque essa coisa me estressava, o problema era deles. Faltavam algumas horas para sair de casa, fiquei um pouco na sala assistindo um filme. Quando estava na melhor parte do filme escuto uma musica, vinha do celular que eu encontrei, tinha uma chamada em entrada com um “numero privado”. Eu respondi:

“Alô? Nenhuma resposta e desligaram. Pensei que alguém que ligou errado e já estava odiando aquele telefone. Em seguida comecei a ler um livro para passar as horas antes de sair, depois me preparei e quando estava saindo o telefone iniciou a tocar novamente. Respondi e uma voz feminina me pergunta: Você consegue me ouvir?”

Possuía uma voz estranha, eu tive arrepios eu admito, mas pelo menos dessa vez alguém respondeu. O pub era bastante agradável, um lugar tranquilo. Eu conheci uma garota, o meu tipo de garota, alta, morena, olhos escuros.

E entre uma conversa e outra trocamos os números dos celulares e marcamos um encontro mais tranquilo para sábado de noite.

“Sábado às 8 passo no seu endereço! Será melhor que você esteja pronta na hora marcada!”

“Nao vou fazer você esperar, tranquilo hahah”

Finalmente uma coisa boa neste dia tao estranho pensei.

Eu dormi na casa da minha melhor amiga. Passamos a noite toda guardando um filme de terror que já tínhamos visto pelo menos umas 40 vezes e comendo brigadeiro. Tudo bem, deixamos o brigadeiro na panela e comemos com a colher. Acordamos as 2 da tarde e voltei pra casa, por sorte eu não tinha aula naquele dia porque senão seria uma outra falta. Eu almocei um miojo, levando em consideração que a geladeira estava vazia e dei mais uma olhada naquele telefone celular, aquele que me dava arrepios, uma sensação muita estranha e decidi que eu o levaria para a policia. quando estava saindo de casa a tela se iluminou: Você recebeu uma nova mensagem.

O artigo continua na página 2

Advertisements

You Might Also Like